Tag Archive: rem


Os sonhos



“Continuando a explicação sobre o sono, vejamos como funcionam os sonhos.”

Ciência:
Biologia/Química

Nível: intermediário

Os sonhos são uma parte bastante intrigante do nosso processo de repouso, combinando
efeitos visuais, sons e emoções em uma linha que mais se parece com uma história.
O propósito do sonho ainda é um mistério para a Ciência, mas as teorias dividem-se
em duas categorias:

– Sonhos são apenas estímulos fisiológicos;
– Sonhos são psicologicamente necessários.

O sono

Nós vimos anteriormente como funciona o nosso sono, com seus ciclos e as frequências
diversas que acontecem em nosso cérebro. Se ainda não leu esse texto, leia aqui.

Sono

Os sonhos e o REM (Rapid eye movement)

Acredita-se que uma pessoa que não tenha os REM’s não sonha, graças aos estudos
de William Dement nos anos 60. As pessoas que fizeram parte de seu experimento,
sendo acordadas todas as vezes que entravam em uma fase de REM, demonstraram ansiedade,
irritação, dificuldade de concentração e, em alguns casos, aumento do apetite.

As idéias mais recentes da ciência dizem que o REM está associado ao aprendizado,
principalmente de habilidades físicas. A base da teoria é que as crianças passam
por muito mais tempo de REM e é nessa fase que seu aprendizado atinge o ponto mais
alto.

Por que esquecemos os sonhos? Cinco minutos depois do final do sonho já esquecemos
50% dele, e em 10 minutos esquecemos 90%. A taxa é extremamente alta,
considerando que não esquecemos as coisas assim em nosso dia-a-dia. Uma série de
teorias tentam explicar o fenômeno:

Freud teorizou que os sonhos possuem nossos pensamentos reprimidos e por isso não
desejamos lembrar deles. Outra corrente diz que o ser humano é, por natureza, um
ser que “pensa para frente”, e é quase impossível lembrar algo quando acabamos de
acordar.

L. Strumpell era um pesquisador sobre os sonhos da mesma época de Freud. Ele dizia
que muitas coisas são rapidamente esquecidas quando acabamos de acordar, como sensações
físicas. A base de sua teoria é que nós aprendemos e lembramos por associação e
repetição, e como os sonhos são únicos e bastante vagos, são extremamente difíceis
de se lembrar.

Curiosidades

  • A maioria dos sonhos dura de 5 a 20 minutos;
  • As pessoas não sonhos apenas em preto e branco, como acreditavam no passado;
  • Em toda nossa vida, passamos aproximadamente 6 anos sonhando. Todo mundo sonha várias
    vezes durante o sono, mesmo que não se lembre disso depois;
  • Pessoas que nasceram cegas têm sonhos baseados em seus outros sentidos;
  • Quando uma pessoa está roncando ela não está sonhando.

Como melhorar nossa memória em relação aos sonhos?

Diário. Sabe aquele caderno cheio de anotações que algumas pessoas fazem sobre seu
dia-a-dia? Hora de fazer um para você, à respeito de seus sonhos.

  • Quando for para a cama, diga a si mesmo que irá lembrar o sonho;
  • Coloque o despertador para tocar a cada 1 hora e meia, provavelmente a hora em que
    estára tendo um REM;
  • Mantenha papel e caneta ao lado da cama, para anotar tudo enquanto ainda se lembrar;
  • Tente acordar devagar, para se manter no clima do sonho.

Para finalizar, os sonhos lúcidos

Existem pesquisas pesadas na área de sonhos lúcidos. Já aconteceu com vocês de perceberem,
no meio do sonho, que estão sonhando? Conseguiram controlar o sonho a partir deste
momento? Isto é o que se chama de sonho lúcido! Apesar de ser algo legal de saber
fazer, é algo extremamente difícil e requer muito treino.

Somente após 1959 que as pesquisar puderam acontecer, quando criaram uma técnica
efetiva para induzir os sonhos lúcidos. Em 1989, Paul Tholey escreveu sobre a técnica
relexiva, que involvia se perguntar, diversas vezes por dia, se estávamos sonhando
ou acordados, notando os sinais típicos de um sonho ao redor.

Stephen LaBerge e Lynne Levitan, entre outros, criaram uma técnica bastante semelhante
à de Tholey, baseada em testar a realidade, e conhecida como MILD (indução mnemônica
de sonhos lúcidos – Mnemonic Induction of Lucid Dreams). Utilizando essa
técnica, Dr. LaBerge é capaz de ter sonhos lúcidos conforme sua vontade.
Vamos deixar o assunto do Mild para um novo post, podendo assim aprofundarmos mais
no assunto.

 

Fontes:

http://health.howstuffworks.com/dream.htm

O sono



“Desvendando os segredos do sono.”

Ciência:
Biologia/Química

Nível: intermediário


Estive conversando com o Salomão e ele me fez duas perguntas interessantes. A primeira
é o porquê de nos sentirmos mais cansados quando dormimos muito, ou, parafraseando-o,
“quanto mais eu durmo mais eu fico cansado”. A segunda, seguindo a mesma linha de
raciocínio, era como calcular quanto tempo de sono nosso corpo necessita para nos
sentirmos bem no dia seguinte, e esta se provou a mais difícil de responder, porque
a resposta é “depende“, mas veremos isso com mais calma em breve.

O sono


Antes de discorremos sobre os efeitos do sono no nosso dia-a-dia, devemos começar
explicando o que é o sono e como ele funciona.

O sono e os sonhos são alguns dos mistérios da vida. O primeiro é fácil de entender,
o corpo precisa repôr as energias gastas e se preparar para o dia seguinte, mas
ainda assim é estranho pensar que animais selvagens tenham necessidade de se “desligarem”
por horas, uma vez que isso pode significar o fim de suas vidas. Já o segundo é
um mistério à parte, digno de um post específico só para ele.

Existem algumas características interessantes sobre o nosso sono:

  • Se possível, uma pessoa deita para dormir;
  • Os olhos ficam fechados;
  • A pessoa não escuta nada, a não ser que o som seja alto;
  • Nossa respiração se torna lenta e ritimada;
  • Os músculos ficam completamente relaxados (por isso caímos se dormimos sentados
    ou de pé);
  • Durante o sono, movemos nosso corpo em uma média de 1 ou duas vezes por hora. É
    um meio do corpo garantir que nenhuma parte ficará com problemas de circulação por
    muito tempo;
  • O coração bate devagar e o cérebro muda seu comportamento e de suas ondas.

Rapid eye movement (REM)


Quanto mais lento o padrão das ondas do cérebro, mais profundo é o sono. Uma pessoa
acordada e relaxada gera ondas alpha, enquanto uma pessoa alerta gera ondas beta,
que é duas vezes mais rápida. Durante o sono, existem os padrões de onda theta e
delta, o primeiro de 3.5 a 7 ciclos por segundo, e o último com menos de 3.5 ciclos.
Uma pessoa em ciclos delta é mais difícil de acordar.

Em vários pontos durante o sono temos o famoso REM, ou Rapid eye movement,
momento em que nossos olhos começam a se mover rapidamente e, em algumas pessoas,
o corpo ou alguns membros mostram alguns movimentos involuntários. O interessante
é que nesses intervalos de REM as ondas cerebrais aumentam como se fossem ondas
de quando estamos acordados, e é nesses momentos que temos os sonhos. Tanto
os REM como os demais períodos são importantes para o sono e devem ser balanceados.

Por que o sono é importante?


  • O sono dá uma chance ao corpo de reparar os músculos e tecidos, substituindo células
    mortas por exemplo;
  • O sono dá ao cérebro a chance de organizar e arquivar memórias. Estudos apontam
    que os sonhos são parte deste processo;
  • Dormir diminui nosso consumo de energia, evitando que tenhamos que fazer 4 ou 5
    refeições diárias;

Como uma breve introdução ao assunto dos sonhos, ressaltamos que é o momento em
que o cérebro apresenta uma atividade elétrica aleatória. Isso significa
que a parte frontal do cérebro tenta desesperadamente entender o que os sinais enviados
sem qualquer padrão, formando então os sonhos. Isto não significa que eles não possuem
significados, pois o que sonhamos é o meio em que nosso cérebro analisa as coisas
é pode nos contar coisas sobre nós mesmos.

Por que quando mais eu durmo mais eu tenho sono?


Agora que tratamos dos fundamentos do sono, vamos às duas perguntas que geraram
este post, lembrando que as respostas não são verdades universais e que existem
estudos contínuos à esse respeito em diversos laboratórios.

O fato é que é possível termos sono demais. Manter o corpo no estado de sonolência
por muitas horas além do necessário engana nosso corpo e o faz quere continuar nesse
estado, nos tornando sonolentos ao invés de alertas. Problemas durante a noite (mais
comum nos dias de hoje do que imaginamos) podem atrapalhar o tempo em que dormimos,
e quando pensamos que dormimos o tempo necessário não tivemos na verdade o tempo
necessário para os reparos que deveriam ter sido feitos naquele período. Ronco,
a qualidade do ar que respiramos, o ambiente ao redor, o barulho, o nível de agitação
da pessoa antes de dormir, cafeína, álcool e muitas outras coisas podem afetar nosso
sono.

As dicas para uma boa noite de sono:

  • Faça exercícios regularmente, isso cansa e relaxa nosso corpo;
  • Não consuma cafeína após as 4 hora da tarde, ou qualquer outro estimulante. (para
    saber mais sobre os efeitos da cafeína, veja
    aqui
    );
  • Evite o álcool antes de dormir, ele atrapalha o padrão normal do cérebro durante
    o sono;
  • Mantenha um padrão regular de hora de dormir e de acordar, mesmo nos finais de semana.

E como eu sei quantas horas de sono eu preciso para me sentir bem?


Por mais que gostaríamos que a resposta fosse uma fórmula matemática, as coisas
não são tão simples. Cada pessoa possui seu ritmo, sua resistência e suas deficiências
próprias, o cálculo correto é, no final das contas, experimental. O melhor meio
de saber como seu corpo reage é fazer experimentos, testar diferentes horários e
ver como seu corpo e seu humor se comportam no dia seguinte.

Existem as pesquisas gerais que podem nos ajudar. A maioria dos adultos precisam
de 7 a 9 horas de sono por noite, mas isso é uma média e é, portanto, subjetiva.
A quantidade de sono necessária diminui conforme ficamos mais velhos: um recém nascido
precisa de cerca de 20 hora de sono por dia, mas aos 10 anos o tempo já caiu para
10 horas. Infelizmente, a resposta para essa pergunta é mesmo depende, cada
pessoa possui seu ritmo.

 

Fontes:

http://health.howstuffworks.com/sleep.htm

http://answers.yahoo.com/question/index?qid=20090226095642AAK2T8l


http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060906043818AAlT2wx