Tag Archive: luz




“Vamos fazer um experimento químico de verdade.”

Ciência:
Química

Nível: intermediário


Melhor do que explicar passo a passo em um texto é mostrar um vídeo. Como ele está em inglês, vou traduzir aqui os passos, mas as imagens já falam por si só.

Passos


1. Ligue os fios ao LED

2. Coloque o LED dentro da bexiga

3. Encha a bexiga com água e dê um nó

4. Congele

O passo 5 apenas diz para navegar no site que criou o vídeo enquanto espera 🙂

6. Remova a bexiga (a tradução literal seria a borracha da bexiga). Água quente ajuda.

7. Ligue as baterias e observe a mágica


 

Fontes:

http://www.youtube.com/watch?v=2h7u0axpnhs&feature=related

Miragem



“Hora de entender as miragens”

Ciência:
Física

Nível: intermediário

No tipo mais comum de miragem, um objeto parece ser refletido como se houvesse uma poça d’água no chão. Tal fenômeno é causado pela refração da luz, a inclinação de feixes de luz. A luz sofre desvios quando passa de um meio para outro, por exemplo, do ar para a água ou mesmo do ar mais frio para o ar mais quente. A idéia pode parecer estranha, mas é bem simples, na verdade.

Imagine que você está empurrando um carrinho de mercado em um estacionamento. Se estiver exercendo uma força constante, a velocidade do carrinho depende do meio em que está viajando, no nosso caso, a superfície asfaltada do estacionamento. E o que acontece se você empurrar o carrinho para fora do estacionamento e entrar em um gramado? Se o empurrar diretamente para a grama, ele simplesmente irá diminuir a velocidade. O meio com grama oferece maior resistência, o que requer mais energia para mover o carrinho de compras.

Mas se você empurrar o carrinho em direção à grama a um ângulo específico, vai acontecer uma coisa diferente. Se a roda da direita atingir a grama primeiro, ela vai desacelerar. Enquanto isso, a roda da esquerda continua sobre o cimentado. Como a roda da esquerda se move momentaneamente mais rápido do que a da direita, o carrinho vira para a direita à medida que se move sobre a grama. Da mesma maneira, se você sair de um gramado para uma área asfaltada ou cimentada, uma roda irá ganhar velocidade antes da outra e o carrinho irá mudar a direção.

Miragem

A mesma coisa acontece com uma onda de luz. Sua velocidade depende do tipo de meio pelo qual ela está passando. No vácuo do espaço, a luz viaja com sua velocidade máxima (não há matéria para reduzir sua velocidade). Já em um local cheio de matéria, como a atmosfera gasosa da Terra, a travessia é mais difícil, o que diminui a velocidade da luz. Conforme passa de um meio para o outro a um certo ângulo, uma parte da onda muda de velocidade um instante antes da outra parte, fazendo com que a luz mude sua direção.

As miragens acontecem quando há uma rápida mudança na densidade do ar presente na atmosfera, o ar em um nível é muito mais quente do que o ar em um nível adjacente (confira esta página para descobrir por que o ar quente é menos denso do que o ar frio).
Isso costuma ocorrer em dias de verão, quando uma estrada asfaltada que está sob o Sol aquece o ar logo acima dela, criando uma grande mudança nos níveis de densidade do ar próximo ao solo. Conforme a luz vai passando entre os diferentes níveis, ela é desviada e cria miragens.

Normalmente, a luz do Sol que atinge um objeto (como um carro, por exemplo) é refletida em todas as direções. Você vê o carro quando seus olhos detectam essa luz. Em um dia cinzento, você vê apenas a luz que se reflete no carro e vai diretamente na sua direção. É assim que você vê as coisas na maioria das vezes.

 

Fontes:

http://ciencia.hsw.uol.com.br/miragem.htm



“Já conheceu alguém que espirra sempre que sai de casa e o dia está claro?”



Ciência:

Biologia
Nível:
Básico

Fotossensibilidade, espirro de reflexo fótico, etc. Vários nomes são dados para este fenômeno, que é de certa forma uma reação incomum: espirrar ao sair de um ambiente mais escuro para um mais claro, como reação imediata da exposição dos olhos à luz.

Se você está lendo isso e pensando “Isso é um absurdo, ninguém é assim!” eu afirmo com certeza e com conhecimento de causa que é algo verdadeiro, e quando criança pensava que todas as pessoas eram assim, até que um dia, de forma bastante surpreendente, fiquei sabendo que era somente comigo que acontecia no meio de tantas outras pessoas que eu conhecia.

Sempre que uma luz forte entra em contato com os olhos da pessoa, se a vista está acostumada com um ambiente cuja luz possui menor intensidade, o corpo reage espirrando, como se tentasse expelir o excesso de luz que subitamente entrou em contato com ele.

Como, afinal, acontece o espirro?

Existe um nervo craniano chamado nervo Trigeminal, responsável pelas sensações e control motor da face. Quando algo irrita este nervo, ele envia o sinal ao cérebro, que faz a pessoa espirrar.

Para as pessoas com essa foto sensibilidade, a super estimulação do nervo ótico seria captado pelo nervo Trigeminal e enviado ao cérebro como sinal para espirrar, mas mesmo com todos os estudos a ciência ainda não é muito precisa e conclusiva em relação à explicação desse fenômeno.

Pesquisas sugerem inclusive que algums outros fatores podem gerar o mesmo resultado, como uma súbita inalação de ar frio ou qualquer outra reação que reagisse próximo do nervo mencionado.

O fenômeno ainda permanece um mistério, apesar de todas as teorias. Até mesmo causa genética já foi cogitada, mas nenhum resultado final foi obtido. O número de pessoas que se enquadram neste perfil variam de 10% a 35% da população, um dado bastante impreciso por ter sido obtido através de pesquisar informais.

Convulsões epilépticas às vezes são desencadeadas por flashes de luz e a enxaqueca é frequentemente acompanhada por fotofobia. “Se conseguíssemos encontrar um gene que provoca o espirro fótico, poderíamos estudá-lo e aprender algo sobre o caminho visual e outros fenômenos de reflexo”, explica Ptácek.

Aconselho a leitura dos sites anotados abaixo na área das fontes para maior esclarecimento sobre o assunto, que é bastante amplo e igualmente nebuloso.


Fontes:

http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/olhar_para_o_sol_pode_fazer_espirrar_sim_imprimir.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Photic_sneeze_reflex

 

Ver o passado


Seria mesmo possível ver as coisas que aconteceram no passado?

Ciência: Física/Percepção extra sensorial
Nível: avançado

Esta é mais uma teoria do que qualquer fato comprovado cientificamente, mas a sugestão do Bruno Luz me deixou bastante curioso e não pude deixar de procurar artigos e textos que explicavam um pouco do que poderia ser uma forma de saber exatamente a história das coisas.

Sabemos que o que vimos é nada mais do que a luz refletida nas coisas e que a luz continua propagando-se indefinidamente. A teoria diz que, se pudéssemos fazer algo viajar mais rápido do que a luz (bem mais rápido), poderíamos interceptar a luz que foi refletida em algum objeto ou ser há muito tempo e, assim, ver as coisas acontecendo como se estivéssemos lá, quando na verdade estaríamos vendo o passado. Interessante, não? A teoria tem um embasamento teórico bastante razoável.

Nós conseguimos enxergar estrelas que já não existem mais, o princípio é o mesmo.  A luz que partiu delas demora para chegar até a Terra, e quando enxergamos aquele ponto brilhante no céu podemos estar vendo algo que não está lá de fato. É como dizem, olhar para as estrelas é como olhar para o passado.

Vários textos de ficção científica utilizam a idéia de que é possível fazer algo desse tipo, incluindo até mesmo o famoso Stephen King. Existe, contudo, uma teoria sobre a visão do passado que não se baseia na física e sim nas ciências paranormais, conhecidas como ESP (Extra Sensory Perception – ou Percepção Extra Sensorial).

À essa incrível habilidade de ver o que já não existe mais é dado o nome de Psicometria, conceito inventado por Joseph Rodes Buchanan em 1842 baseando-se em uma teoria de que todas as coisas emanam uma energia. Ele faz uma analogia da mente de quem conseguiria fazer isso com um telescópio mental, estando então, de certa forma, relacionando-se com a teoria da luz citada anteriormente.

Outras correntes alteram um pouco a forma como as visões são obtidas, chegando até mesmo nas famosas bolas de cristal dos filmes de ficção e desenhos animados. E para aqueles que pensam que tudo não passa de invenção e está além do limite entre o real e o imaginário, cito o trabalho de Gustav Pagenstecher, um Alemão que descobriu essas habilidades em uma de suas pacientes, Maria Reyes Zierold. Maria conseguia descrever coisas que aconteciam atrás de portas ou além de um campo de visão normal, descrevendo inclusive sons, gostos e cheiros.

Esta é uma área de estudo bastante intrigante e polêmica, pois é difícil para nós acreditar em coisas que não vemos em nosso cotidiano. Não entraremos em detalhes sobre as pesquisas na área para não nos estendermos muito e porque isso exigiria muito tempo de pesquisa, mas ao menos quem se interessou pelo assunto já tem por onde começar a estudar.

Obrigado pela dica, Bruno!

Fontes:

http://paranormal.about.com/cs/espinformation/a/aa063003.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Psychometry
http://science.howstuffworks.com/esp1.htm
Wiki Answers
http://www.answers.com/topic/gustav-pagenstecher