Archive for junho, 2009




“DNA ajuda a recriar cor das penas de ave gigante extinta”

Ciência:
História

Nível: Básico/Curiosidade


Um método engenhoso permitiu que pesquisadores reconstruíssem a plumagem de algumas espécies de moas, aves gigantes que desapareceram da Nova Zelândia e chegam a mais de 3 m de altura. O mais engraçado é que os bichos provavelmente eram rajadinhos, mais ou menos como uma codorna de hoje, apesar de seu tamanho avantajado.

A pesquisa liderada por Nicolas J. Rawlence, da Universidade de Adelaide (Austrália), está na revista científica britânica “Proceedings of the Royal Society B”. Rawlence e companhia descobriram que é possível obter DNA das penas dos moas, achadas em sítios paleontológicos e arqueológicos neozelandeses. (Como os moas foram extintos há apenas 700 anos, provavelmente por causa da caça praticada pelas tribos maoris, é relativamente comum achar as penas das aves gigantes.)

O DNA das penas permitiu que os pesquisadores associassem os restos a várias espécies diferentes de moas, cujo material genético já havia sido identificado em ocasiões anteriores. Sabendo a que espécie pertencia cada tipo de pena, veio a segunda etapa: saber como a cor delas tinha se alterado ao longo do tempo.

A sorte dos especialistas é que uma espécie ainda existente de periquito tinha suas penas encontradas com frequência junto com as dos moas. Graças a isso, eles criaram uma escala de esmaecimento das cores — uma medida de quanto e como a cor das penas fica desbotada com o passar do tempo.

A partir disso, os especialistas reconstruíram com bom grau de precisão a cor original das penas dos moas. Eles acreditam que a cor rajada era uma forma de clamufagem contra o principal predador dos bichos, a enorme águia-de-haast, uma ave de rapina cuja envergadura das asas ultrapassava os 3 metros.


 

Fontes:

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1213531-5603,00.html



“Curiosidades científicas do mês.”

Ciência:
Todas

Nível: básico


Mais Algumas Curiosidades científicas bem interessantes:

  • A distância entre a Terra e o Sol é de 149.600.000 Km.
  • A ovelha Dolly tem este nome porque ela foi criada a partir de uma célula da glândula
    mamaria da mãe, e em homenagem aos grandes seios de Dolly Parton.
  • A velocidade de uma bola de tênis lançada por um jogador pode chegar a mais de 200km/h.
  • Acontecem 1 milhão de tremores de terra a cada ano.
  • Carlos Magno, o maior soberano da Europa Medieval, só aprendeu a ler aos 32 anos
    de idade.
  • Cerca de 14 milhões de pessoas de diferentes partes do mundo fazem aniversário no
    mesmo dia.
  • Do século XIX até hoje, houve sete epidemias em escala mundial (pandemia) de cólera.
    A última delas começou há 30 anos e chegou a América do Sul em 1991, espalhando-se
    a partir do Peru.
  • Entre as 28 mil vítimas da erupção vulcânica da montanha Pelée, na Martinica, em
    1902, apenas um sobreviveu porque ele teve a sorte de ser preso na véspera. Fechado
    na cela mal ventilada, ficou ao abrigo dos gases asfixiantes.
  • O “J”, é a única letra que não aparece na tabela periódica dos elementos.
  • O Sol libera mais energia em um segundo do que tudo que a humanidade já consumiu
    em toda sua existência.
  • O forno de microondas surgiu quando um pesquisador que estudava as microondas percebeu
    que elas haviam derretido o chocolate que estava em seu bolso.
  • Piracema é o fenômeno de subida dos peixes até as cabeceiras dos rios.
  • Relâmpagos matam mais do que vulcões, furacões e terremotos.
  • Se a temperatura dos continentes aumentar 1oC, a temperatura nos pólos aumentaria
    10oC.
  • Se as doenças do coração, o câncer e o diabetes fossem erradicados, a expectativa
    de vida do homem seria 99,2 anos.
  • Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.
  • A monumental “História Natural” do escritor latim Plínio o Velho (I século d.C.),
    expõe de forma enciclopédica o saber dos tempos antigos, recolhidos por ele consultando
    mais de duas mil obras de autores diferentes. Plínio cita todos no primeiro dos
    37 livros dos quais a obra é composta. Nela, além dos quatro livros de assunto zoológico,
    há uma ampla seção dedicada aos remédios obtidos dos animais, para cujo tema são
    dedicados 5 livros.
  • A palavra “átomo” é de origem grega e deriva do verbo “témnein = cortar”, com o
    prefixo negativo “a-“; significando portanto “indivisível”. O termo foi usado pela
    primeira vez pelo sumo filósofo grego Demócrites (cerca de 460-370 a.C.), para indicar
    as partículas indivisíveis em que, segundo ele, era formada a matéria. Sendo que
    não havia como demonstrar cientificamente, com provas, esta sua teoria atomística,
    foi considerada uma simples especulação filosófica. Tiveram que passar mais de dois
    mil anos, antes que a teoria fosse confirmada pela ciência; o átomo é realmente
    um componente elementar da matéria, apesar que nos dias de hoje os cientistas tenham
    descoberto que o átomo é constituído, por sua vez, de partículas ainda menores.
  • O “Amok” é uma doença mental que pega os habitantes de sexo masculino de algumas
    regiões da Ásia sul-oriental, em particular a Malásia. Quem adoece, começa caindo
    num profundo estado de depressão, seguido logo por uma incontrolável fúria homicida,
    no curso da qual o doente sai correndo, gritando e golpeando (e matando), qualquer
    um que lhe passa por perto. Passada a crise, ele não se lembra de nada. Uma forma
    análoga da doença, chamada “pibloktoq”, é presente também entre os Esquimós.

 

Fontes:

http://curiosidadesonline.wordpress.com/2009/02/10/curiosidades-cientificas/

http://curiosidadesonline.wordpress.com/2009/02/10/mais-algumas-curiosidades-cientificas/


“Dores no frio.”

Ciência: Biologia
Nível: básico

Por que, quando está frio, sentimos algumas dores no corpo, principalmente se já tivemos uma fratura? Essa pergunta me foi feita no começo da semana, e heis aqui a resposta.

Quando a temperatura cai, quem tem dores crônicas costuma relatar que a intensidade aumenta. O fato é que, no frio, as terminações nervosas tornam-se bem mais sensíveis. “Quem sofre de dores nevrálgicas, aquelas associadas a lesões nos nervos periféricos, deve evitar a exposição às baixas temperaturas”, exemplifica a fisioterapeuta Fabíola Andrade, do Instituto Patrícia Lacombe, com sede em Campinas – São Paulo

Até quem não tem problemas de saúde, pode apresentar dores no inverno. “Ficar encolhido, na tentativa de fugir do frio, gera tensão muscular, contraturas e conseqüente mal-estar”, explica. A curiosidade fica por conta das pessoas mais magras reclamarem mais desse tipo de dor. A gordura corporal funciona como um isolante térmico, uma espécie de ‘casaco natural’. Assim, o indivíduo que se encontra dentro ou abaixo do peso ideal sente mais o frio e seus efeitos.

Entre as alterações relacionadas ao aumento das dores na temporada está a constrição vascular, que é o estreitamento dos vasos sanguíneos. “Quem tem problemas circulatórios pode se queixar de incômodo nas pernas, por exemplo”, afirma a fisioterapeuta

O antídoto para a maior parte das queixas está no alinhamento postural, que ajuda a prevenir as dores, fazendo com que os músculos possam funcionar de forma adequada, prevenindo assim o excesso de tensão no corpo. “Além disso, é importante o uso de roupas adequadas à temperatura e, a prática de atividade física regular”, completa Fabíola

 

Fontes:

http://blog.newsfree.com.br/2008/07/12/dores-de-frio/

Texto retirado na íntegra

Tome Nota!



“Depois de muito tempo, uma nova rodada de curiosidades científicas”

Ciência:
Todas

Nível: básico


– A velocidade da luz, geralmente arredondada em 300.000 km/s, é de exatamente 299.792,458km/s.

– São necessários 8 minutos e 17 segundos para a luz viajar da superfície do Sol à Terra.

– 10% de todos os humanos já nascidos, estão vivos neste momento.

– A Terra gira à 1.600 Km/h, mas viaja em sua órbita ao redor do Sol a mais de 107.000km/h.

– Todo ano, um milhão de terremotos sacodem a Terra.

– Quando Krakatoa entrou em erupção, em 1883, a força de sua explosão foi tão grande que pode ser escutada à mais de 7.700km de distância, na Austrália.

– A cada segundo, 100 raios atingem a superfície Terrestre

– Todo ano, 1000 pessoas morrem vítimas de raios.

– Em outubro de 1999, um iceberg do tamanho de Londres, soltou-se do continente Antártico.

– Se você conseguisse dirigir seu carro na vertical, direto para cima, levaria apenas uma hora para chegar ao espaço (algo em torno de 65km).


 

Fontes:

http://cybervida.com.br/50-fatos-cientificos-curiosos