“Em 1997, a clonagem foi revolucioada.”

Ciência:
Biologia

Nível: intermediário

Em 1997, a clonagem foi revolucionada quando Ian Wilmut e seus colegas do Instituto
Roslin em Edinburgo, Escócia, clonaram com sucesso uma ovelha chamada Dolly. Dolly
foi o primeiro mamífero clonado.

Wilmut e seus colegas transplantaram um núcleo de uma célula de glândula mamária
de uma ovelha Finn Dorsett no ovo desnucleado de uma ovelha Blackface escocesa.
A combinação núcleo-ovo foi estimulada com eletricidade para fundi-los e estimular
a divisão celular. A nova célula se dividiu e foi colocada no útero de uma ovelha
Blackface para se desenvolver. Dolly nasceu meses depois.

Dolly provou ser geneticamente idêntica às células mamárias Finn Dorsett e não à
ovelha Blackface, o que demonstrou claramente que era um clone bem-sucedido (foram
feitas 276 tentativas antes de dar certo o experimento). Dolly depois disso cresceu
e reproduziu várias proles próprias através de meios sexuados normais. Portanto,
a Dolly é um clone viável e saudável.

Desde a Dolly, diversos laboratórios universitários e empresas empregaram várias
modificações da técnica de transferência nuclear para produzir mamíferos clonados,
inclusive vacas, porcos, macacos, camundongos e Noé.

Por que clonar?

A principal razão de clonar plantas ou animais é produzir em massa organismos com
as qualidades desejadas, como uma premiada orquídea ou um animal fruto de engenharia
genética. As ovelhas, por exemplo, foram alteradas geneticamente para produzir insulina
humana. Se tivéssemos de recorrer apenas à reprodução sexuada (cruzamento) para
produzir em massa esses animais, correríamos o risco de atenuar as características
desejadas porque a reprodução sexuada reembaralha o baralho genético.

Outras razões para a clonagem podem incluir a substituição de animais de estimação
perdidos ou falecidos e repopular espécies ameaçadas ou até extintas. Independente
da razão, as novas tecnologias de clonagem geraram muitos debates éticos entre os
cientistas, políticos e público em geral. Vários governos já consideraram ou promulgaram
leis para diminuir, limitar ou banir completamente os experimentos com clonagem.
É claro que a clonagem fará parte das nossas vidas no futuro, mas os rumos dessa
tecnologia ainda não foram determinados.

 

Fontes:

http://ciencia.hsw.uol.com.br/clonagem.htm