“O eterno enigma das listras coloridas nos cremes dentais!”

Ciência: Física/Química
Nível:
básico

O grande segredo nada mais é do que o posicionamento correto das diferentes cores dentro da massa que compõe o creme dental. os cálculos são tão precisos que qualquer variação brusca no sincronismo do preenchimento do tubo acaba por prejudicar o resultado final.

Vejam como é um tubo de colgate por dentro:

Devido ao estado semi-sólido do creme, viscosidade das bases, falta de espaço para homogeneização e principalmente o equilíbrio da fórmula, uma cor não invade o espaço da outra. Sendo assim, o tubo fechado pode ser dobrado e amassado que a massa interna de creme acompanhará sem que as cores se misturem.

Quando o tubo é pressionado, a massa é pressionada contra o bico e as cores misturam-se no formato de listras, como as vemos! O processo de criação da massa e a sua colocação dentro do tubo, contudo, não é tão simples:

– Como primeira etapa de envase, um robô coloca tubos vazios em suportes giratórios.
– Os cremes descem por tubulações separadas: creme verde, creme azul e creme branco.
– Um sensor acusa a presença do tubo e prepara o bico de enchimento para o envase.
– Bicos de enchimento entram nos tubos pelo fundo até alcançarem a região da tampa.
– Ao subir, cada bico enche o tubo com todas as cores ao mesmo tempo.
– Depois de cheio, o fundo do tubo é prensado e aquecido. O plástico derrete e forma-se uma espécie de solda.
– Na seqüência, informações de lote e data são impressos na área soldada.
– Nessa fase, rebarbas de plástico são retiradas.

Fontes:

http://www.vocesabia.net/saude/as-listras-do-creme-dental-nao-se-misturam/#more-800