Seria mesmo possível ver as coisas que aconteceram no passado?

Ciência: Física/Percepção extra sensorial
Nível: avançado

Esta é mais uma teoria do que qualquer fato comprovado cientificamente, mas a sugestão do Bruno Luz me deixou bastante curioso e não pude deixar de procurar artigos e textos que explicavam um pouco do que poderia ser uma forma de saber exatamente a história das coisas.

Sabemos que o que vimos é nada mais do que a luz refletida nas coisas e que a luz continua propagando-se indefinidamente. A teoria diz que, se pudéssemos fazer algo viajar mais rápido do que a luz (bem mais rápido), poderíamos interceptar a luz que foi refletida em algum objeto ou ser há muito tempo e, assim, ver as coisas acontecendo como se estivéssemos lá, quando na verdade estaríamos vendo o passado. Interessante, não? A teoria tem um embasamento teórico bastante razoável.

Nós conseguimos enxergar estrelas que já não existem mais, o princípio é o mesmo.  A luz que partiu delas demora para chegar até a Terra, e quando enxergamos aquele ponto brilhante no céu podemos estar vendo algo que não está lá de fato. É como dizem, olhar para as estrelas é como olhar para o passado.

Vários textos de ficção científica utilizam a idéia de que é possível fazer algo desse tipo, incluindo até mesmo o famoso Stephen King. Existe, contudo, uma teoria sobre a visão do passado que não se baseia na física e sim nas ciências paranormais, conhecidas como ESP (Extra Sensory Perception – ou Percepção Extra Sensorial).

À essa incrível habilidade de ver o que já não existe mais é dado o nome de Psicometria, conceito inventado por Joseph Rodes Buchanan em 1842 baseando-se em uma teoria de que todas as coisas emanam uma energia. Ele faz uma analogia da mente de quem conseguiria fazer isso com um telescópio mental, estando então, de certa forma, relacionando-se com a teoria da luz citada anteriormente.

Outras correntes alteram um pouco a forma como as visões são obtidas, chegando até mesmo nas famosas bolas de cristal dos filmes de ficção e desenhos animados. E para aqueles que pensam que tudo não passa de invenção e está além do limite entre o real e o imaginário, cito o trabalho de Gustav Pagenstecher, um Alemão que descobriu essas habilidades em uma de suas pacientes, Maria Reyes Zierold. Maria conseguia descrever coisas que aconteciam atrás de portas ou além de um campo de visão normal, descrevendo inclusive sons, gostos e cheiros.

Esta é uma área de estudo bastante intrigante e polêmica, pois é difícil para nós acreditar em coisas que não vemos em nosso cotidiano. Não entraremos em detalhes sobre as pesquisas na área para não nos estendermos muito e porque isso exigiria muito tempo de pesquisa, mas ao menos quem se interessou pelo assunto já tem por onde começar a estudar.

Obrigado pela dica, Bruno!

Fontes:

http://paranormal.about.com/cs/espinformation/a/aa063003.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Psychometry
http://science.howstuffworks.com/esp1.htm
Wiki Answers
http://www.answers.com/topic/gustav-pagenstecher